sexta-feira, 2 de maio de 2008

Pesquisa de campo

Por Laura Buoro Cortizo

Nossa equipe entrou em contato com o organizadopr de uma celebração de Sainto Daime em Campinas, eles chamam de "trabalho", estávamos empolgados com o nosso trabalho de campo, porém ele nos explicou que apenas a visita ao trabalho não é possível, nós teríamos que tomar o chá. Mesmo sendo uma religião legalizada e o chá ser feito com ervas naturais, nós e o professor Álvaro decidimos que seria melhor não tomarmos o chá. O grupo ficou bem dividido com a proposta, alguns tiveram a curiosidade de ir tomar o chá e outros ficaram apreensivos. Como nosso trabalho de campo nos impôs uma barreira, decidimos ir para um outro lado, como a entrevista postada anteriormente.
Primeiro entramos em contato com uma pessoa que frequentou mas não seguiu a diante. Achamos interessante mostrar todos os lados dessa religião, a partir de vários pontos de vistas, e é assim, a partir desta entrevista que vamos partir para outras, como uma pessoa que segue a religião e também o organizador do Santo Daime em Campinas.
Como foi dito pela entrevistada, o preconceito existe sim, muitos não entendem como o Daime virou religião, e por um lado entendo que por ser um trabalho que devemos trabalhar longe do etnocentrismo, está erado da nossa parte não tomar o chá, afinal é o que faz parte da religião e nós teríamos que conhecer, mas, por um outro lado, também aprendemos com o estudo da religião, que o chá não pode simplesmente ser tomado, como seria no nosso caso por curiosidade. Existe toda uma preparação psicológica e espiritual para ser realizado esse trabalho, e nós não temos o direito de ir lá só por curiosidade tomar esse chá em meio a tantas pessoas que seguem essa religião e tem a fé.
Segundo a nossa entrevistada, a primeira vez que ela participou do trabalho foi completamente diferente da segunda, o que nos dá por base que a preparação é fundamental.
Desde o começo da nossa pesquisa descobrimos, pelo menos eu que nunca tinha ouvido falar de Santo Daime, que essa é uma religião séria, e ao contrário do que a maioria pensa, que o povo vai lá pra tomar o chá e ficar "louco", as pessoas seguidoras e que fazem o trabalho espiritual são pessoas que entendem o Daime como qualquer outra religião, o que realmente é. Muitas pessoas encontraram sua fé lá e a religião trouxe muita coisa boa!
Com a entrevista anterior e com as próximas que virão, nós pretendemos mostrar o Daime como uma religião como o Catolicismo por exemplo, e mostrar o lado em que você alcança um crescimento interior! Procuramos relativar a religião criada por Seu Irineu.

2 comentários:

Alvaro O disse...

Encontraram uma boa solucao para o encaminhamento do trabalho. Tenham em mente aquele roteiro apresentado em sala quando fizerem as entrevistas.

Carolina A. disse...

Péssimo texto. A aluna precisa de mais atençao na utilizaçao das palavras e evitar a repetiçao insistente de alguns termos (Ex. "Íamos tomar chá. Ficavam em duvida sobre tomar chá. Optamos por não tomar chá.")
Isso torna o texto cansativo e desinteressante.